Pesquisar neste blog

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Exercício de Geografia 1ºD As Bases Físicas do Brasil

Resolva:

1. Explique, em linhas gerais, os dois tipos de estruturas geológicas que constituem a plataforma Sul-americana.

2. Justifique a notável estabilidade geológica do território brasileiro, que se manifesta pela ausência, no presente, de grandes terremotos ou atividade vulcânica.

3. Identifique a alternativa falsa sobre a história geológica do território brasileiro.

a) O Brasil não apresenta dobramentos modernos, mas exibe vesgios notáveis de antigos dobramentos do Pré-Cambriano.

b) Na Era Paleozóica, as bacias sedimentares da América do Sul chegaram a se unir, sob o efeito de uma vasta transgressão marinha.

c) As camadas rochosas da bacia sedimentar do Paraná atestam a ocorncia de extensos derrames vulnicos durante a Era Mesozóica.

d) O arcabouço geológico do país foi constituído essencialmente durante o Pré Cambriano, não se registrando estruturas rochosas da Era Cenoica.

e) O Vale do Parba é uma fossa de afundamento, entre as serras do Mar e da Mantiqueira, gerada pela reativação, durante a Era Cenozóica, de falhas muito antigas.

4. Explique a origem geológica dos depósitos de carvão encontrados no Brasil Meridional.

5. O arcabouço estrutural dos Planaltos e Serras do Atlântico Leste-Sudeste resulta de movimentos orogenéticos e epirogenéticos ocorridos em eras geológicas distintas. Explique esse processo.

6. Discuta os impactos ambientais relacionados à retirada da vegetação das dunas litorâneas.

7. A fotografia seguinte mostra uma chapada do Brasil central. Utilize o conceito de erosão diferencial para justificar a modelagem desta feição de relevo.

Morro do Buraco e Morro da Baleia, Chapada dos Veadeiros, Alto Paraíso (GO).

8. Agora, retome o conceito de erosão diferencial e comente a configuração dos amplos compartimentos de depressões que circundam os planaltos brasileiros.

9. O geógrafo Jurandyr L. S. Ross, tratando do estudo do relevo brasileiro, faz o seguinte alerta: "Não se pode jamais confundir o que é idade e gênese das formas com idade e gênese das estruturas. Se as estruturas e litologias são predominantemente antigas, o mesmo não se pode dizer das formas do relevo, que são muito mais recentes".

"Relevo brasileiro: uma nova proposta de classificação". Revista do Departamento de Geografia. São Paulo: FFLCH-USP,n. 4, 1992. p. 25.

a) Apresente a diferença entre estruturas e formas.

b) Explique o alerta do geógrafo.

10. No início do século, o geógrafo Emmanuel de Martonne ressaltava a importância dos climas na configuração do modelado. Ele sublinhava a diferença entre os modelados de regiões úmidas, como nos Planaltos e Serras do Atlântico Leste-Sudeste, e os de regiões secas:

"A grande umidade do ar, geralmente vinculada a chuvas abundantes, favorece a decomposição química, mediante

a água que se infiltra na superfície. Nos climas úmidos, os solos são geralmente profundos e as arestas de rochas são raras [...]. Os produtos da decomposição formam um manto mais ou menos contínuo que mascara as irregularidades do subsolo e suaviza todas as formas. Nos climas secos, a decomposição química é menos ativa, e a decomposição menica, devida sobretudo às variações de temperatura, se faz sentir muito mais. Os detritos são mais grosseiros e [...] desabam, deixando à mostra as escarpas rochosas ..."

MARTONNE, Emanuel de. O Clima, fator do relevo. São Paulo: Alfa-Omega, 1974. p. 6.

Com base nessa idéia, fa uma análise comparativa das paisagens seguintes.

1 11. Observe a seqüência de figuras, que revela um fenômeno natural ocorrido há mais de

meio século na Ilha de Cardoso, em Cananéia (SP).

a) Descreva o fenômeno.

b) Explique a sua causa e o seu resultado.


Resolva e entregue ao professor em classe para corrigir

Texto do livro de Demétrio Magnoli

Nenhum comentário:

Postar um comentário