Pesquisar neste blog

sábado, 26 de março de 2011

Terremoto em Mianmar atinge a china e já deixa mais de 70 mortos

Terremoto em Mianmar deixa mais de 70 mortos

Um terremoto sacudiu na noite desta quinta-feira (24) o leste de Mianmar matando mais de 70 pessoas.
Abalo também foi sentido na Tailândia, China e Vietnã.

Do G1, com agências internacionais*

Este ano está cada vez mais evidente como ficará marcado pelos terremotos que vem sascudino o planeta de ponta a ponta, desta vez em menos de um mês já estamos em uma  nova catástrofe que é me mianimá. Com certeza no vestibular de 2012 será comentado estas notícias. A Terra está em constante movimento e o reflexo de um terremoto pode ser repercutido mais cedo ou mais tarde em outras regiões como desta vez próximo da china. A catástrofe só não foi maior porque não atingiu a china com maior intensidade onde tem uma população enorme.  
Um terremoto sacudiu na noite desta quinta-feira (24) o leste de Mianmar matando mais de 70 pessoas, segundo as agências de notícias internacionais. Ainda não está confirmado se o tremor atingiu magnitude 6,8 ou 7.
A perdas humanas se concentraram no município de Tarlay, incluindo a cidade de Tachilek. Cerca de 20 pessoas ficaram feridas até o momento. Há relatos de que cinco mosteiros e 35 prédios desabaram nas regiões afetadas.
O abalo também foi sentido em toda península da Indochina e na China. O epicentro foi registrado a 10 km de profundidade, na zona da fronteira com a Tailândia e Laos, segundo o Instituto Geofísico dos Estados Unidos (USGS).
O terremoto balançou os prédios mais altos de Bangcoc, na Tailândia, em Naypyidaw, capital administrativa de Mianmar - centenas de quilômetros ao sul - e em Mandalay, ao norte.
No Vietnã, o diretor do departamento de Controle de Abalos Sísmicos Dinh Quoc Van informou que o terremoto atingiu magnitude 5 em Hanói e de 6 na cidade de Dien Bien Phu, no noroeste do país.
A rádio nacional chinesa confirmou que o tremor atingiu a província de Yunnan, sem deixar danos ou vítimas, mas provocou fissuras em casas e escolas na região de Xishuangbanna, na fronteira com Mianmar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário