Pesquisar neste blog

segunda-feira, 14 de julho de 2014

REFLEXÕES E SUGESTÕES PARA A CRISE DA ÁGUA EM NOVA FLORESTA-PB


          Uma cidade que apresenta índices pluviômetros bem maiores que países do Oriente Médio, mas que estamos enfrentando os mesmos problemas. Embora tenhamos um subsolo riquíssimo até quando irá suportar tanta exploração para abastecer Cuité e Nova Floresta?
Neste sábado andando pelas ruas pude observar a dor e o sofrimento do nosso povo em busca do bem mais precioso "a água" sob os diversos meios, seja de charrete, carro de mão, bicicleta, caminhão pipa, moto, etc.




 

PELA CIDADE EXISTEM TRÊS POÇOS ABANDONADOS QUE SUGERIA QUE FOSSEM REVITALIZADOS PARA ATENDER A POPULAÇÃO.






 Na praça em frente ao Colégio tem um poço perfurado com dinheiro público que está enterrado e que se revitalizado poderia atender a população próximo ao Colégio Rolderick e do Conjunto Francisco Estevão.

As imagens abaixo é de uma área que parecem ser abandonadas, mas que um dia serviu a boa parte da população nos anos 70 e 80 quando existia um poço artesiano. Está área fica por trás da padaria de Arlete e por imprudência do poder público deixa um poço ficar na situação que está. Poderia ser também revitalizado e atender a população da Quadra Primeiro de Maio, Rua Pedro Gondim, etc
Outro poço que atendeu a população florestense nos anos 70, 80 e 90 é o que se encontra na Cagepa. Onde precisava apenas de uma bomba injetora, uma caixa d'água e conexões.

Nas dependências da caixa dágua de Nova Floresta tem este dessalinizador abandonado pela Prefeitura Municipal de Nova Floresta que nos anos 90 servia a população água doce e que poderia ser recondicionado e servir neste momento de crise a população florestense.  

A água do mar dessalinizada a mais barata encontra-se em Israel, onde a maior usina de osmose reversa do mundo foi construída na orla mediterrânea, em Ashkelon. Ela produz 270.000 metros cúbicos de água por dia. A política de Israel em relação à água é notoriamente pouco transparente, mas o governo garante ter condições de suprir água a cerca de US$ 0,50 (R$ 1,11) por metro cúbico. Isso representa cerca de um terço do custo de produção na Arábia Saudita, e um sexto do custo típico da dessalinização em vigor 20 anos atrás.

De modo mais pertinente ainda para os israelenses, este custo sustenta a comparação com os US$ 0,30 (R$ 0,66) que custa bombear água potável do mar da Galiléia até cidades costeiras tais como Tel-Aviv, e os US$ 2 (R$ 4,44) por metro cúbico que devem ser desembolsados para comprar e transportar água da Turquia. Um plano nacional que foi aprovado em meados de 2004 aumentará a produção de água do mar dessalinizada de maneira a atender a cerca da metade da demanda atual do país em água, até o final desta década.
           
Esta queda considerável dos custos está incentivando cidades que enfrentam circunstâncias menos extremas, e climas mais frios e mais úmidos, a aderirem à revolução da osmose reversa. 

O NOSSO AQUÍFERO
O Sistema está contido na formação lito-estratigráfica que lhe empresta o nome, sendo constituído de arenitos finos, médios e grosseiros, pela ordem de predominância, com intercalações de argilitos em camadas de espessuras e profundidade de ocorrência variáveis.
No Estado da Paraíba, as áreas do Sistema não ultrapassam os 200 Km², o que representa, apenas 0,35% da área total do Estado e 0,4% da sua área semi-árida. Na exposição de Cuité/Nova Floresta, sua espessura varia de 19m a pouco mais de 50m. Na exposição de Bombocadinho, há registros de até 56 mde sedimentos, não se conhecendo tais espessuras nas demais, mas estimando-se que não sejam muito diferentes. A espessura saturada do nível aqüífero inferior, somente conhecida na exposição de Cuité é, em média, de 10m. O nível superior tem espessura saturada ainda desconhecida.
A recarga é feita, apenas, a partir da infiltração da parcela das chuvas que escapam à evapotranspiração real e vão alimentar, sucessivamente, o nível aqüífero superior suspenso e o horizonte inferior, sub-saturado.
Pelas dosagens de sólidos totais dissolvidos, verifica-se que, apenas, 7,6% dos poços
apresentam resíduo seco inferior a 500 mg/L; 15,3% tem água com salinidade entre 501 mg/L e 1.000 mg/L; em 27,1% dos poços, as águas tem S.T.D entre 1.001 e 1.500 mg/L; e, a maioria, ou seja 50% dos poços as águas são inadequadas para consumo humano, revelando uma salinidade entre 1.501 e 6.000 mg/L
 

Não sou político, mas proponho estas sugestões para amenizar nosso sofrimento, como podemos ver na figura abaixo no Conjunto Francisco Estevão. Recursos tem, pois segundo o Tribunal de Contas da Paraíba no mês de Maio por exemplo foi empenhado 1.344.012,07 (Um milhão, trezentos e quarenta e quatro mil e sete centavos) e obteve no mesmo mês de maio de 2014  R$ 1.610.171,14 (Um milhão, seiscentos e dez mil, cento e setenta e um reais e quatorze centavos) em receitas orçamentárias, fazendo a diferença temos R$ 266.159,07 (DUZENTOS E SESSENTA E SEIS MIL, CENTO E CINQUENTA E NOVE REAIS E SETE CENTAVOS) este foi o valor que sobrou para os cofres da prefeitura e então poderia ser retirado uma pequena parcela e fazer estas ações e amenizar o sofrimento do nosso povo. Se vc concorda compartilha.
 














Nenhum comentário:

Postar um comentário